4º Domingo do Tempo Comum – 2022


Domingo, 30 de janeiro.

No evangelho do domingo passado, Jesus anunciou na Sinagoga: “O Espirito do Senhor está sobre mim, Ele me ungiu para anunciar a boa nova aos pobres e hoje se cumpriram estas palavras”. As pessoas ao ouvirem isto, em vez de se alegrarem, ficaram furiosas e tentaram jogar Jesus precipício abaixo.

A primeira leitura de hoje fala do profeta Jeremias que viveu mais ou menos 700 anos antes de Cristo, momento em que Israel está prestes a ser invadido e arrasado pela Babilônia. E antes da invasão, Jeremias tem que chamar a atenção do Rei de Israel e dizer a ele para não fazer aliança com o próprio inimigo. O rei de Israel não deu ouvidos a Jeremias e este foi preso, mas depois foge para o Egito e ali ele é morto pelos próprios Judeus. Mas Jeremias foi fiel à palavra de Deus até o fim, anunciando a boa nova. No momento em que Jeremias fica com medo de sua missão ele clama a Deus: “Tu me seduzistes Senhor e me deixei seduzir, e agora todos me perseguem.”

Quantas vezes não passamos por situações onde questionamos Deus, dizendo: “Senhor onde o Senhor estava que me deixou fazer aquilo? por que você permitiu isso na minha vida e na vida da minha família?” E a gente fica decepcionado com Deus. Jeremias também passou por esta situação. Porque isso é humano, é a nossa dimensão humana que ainda não entende o propósito de Deus em nossas vidas e em sua plenitude.

E Jeremias mesmo no momento de tribulação em sua vida, toma consciência e diz a Deus: “O Senhor é meu Deus, não existe outro Deus em minha vida a não ser você, perdoe pelas minhas palavras.” E Deus diz a Jeremias: “Eu te darei forças e farei de ti uma muralha, uma parede de bronze diante de teus inimigos! E se você acreditar em mim, você será forte; mas se você tiver medo, eles te dominarão.” Essas palavras também podem ser interpretadas no nosso dia a dia quando passamos por tribulações como problemas financeiros, problemas de relacionamento, etc.

Se confiarmos em Deus, seremos fortes, é isso que Deus espera de nós. “O Senhor é meu pastor e nada me faltará!” Os homens do antigo testamento sabiam muito bem quem era Deus porque eles tinham vivido estas situações de tribulações, as escrituras não falam de uma coisa ideal, e sim de uma coisa real que o povo viveu, como o sofrimento, a amargura, a perseguição, etc. Mas este povo continuou fiel a Deus e Deus fiel a este povo.

A Babilônia, o antigo Egito, a Síria, a Pérsia, o império romano e o império Grego já não existem mais, mas o povo de Israel existe até hoje porque foi um povo fiel e Deus cuidou dele. Embora passamos por situações adversas, por situações que não entendemos, devemos sempre olhar para a Cruz e ali perceber que Deus nunca nos abandonou e nunca vai nos abandonar.

AVISOS:

Link para a inscrição da catequese: https://forms.gle/m8UTzETeayWRw7eW9

This will close in 0 seconds