3º Domingo da Quaresma – 2023


Domingo, 12 de março.

No evangelho de hoje uma mulher de Samaria se aproxima de um poço e ali está sentado Jesus, um judeu, e judeus não se davam com samaritanos. Então Jesus se aproxima dela e lhe pede que lhe dê de beber.

Nisto a mulher o questiona, e Jesus lhe diz: “Se você conhecesse o dom de Deus e quem é que te pede água, você quem pediria água para mim, pois a água que eu ofereço é uma água viva e quem a consome nunca mais terá sede.”

Essa água é a água de amor, porque todos nós necessitamos dela, e o único amor que nos sacia é o amor de Deus. A esperança passará, a fé passará, mas o amor de Deus jamais passará. 1 Coríntios-13.

Como podemos retribuir este amor a Deus? na oração, praticando a caridade, perdoando os irmãos, confessando nossos pecados, porque através da confissão somos restaurados, e nos despojando.

O que significa se despojar? É quando oferecemos a Deus aquilo que tanto desejamos e aprendemos a conviver sem, por exemplo, é quando estamos na fila da padaria e entra alguém na nossa frente para ser atendido antes de nós.

Esse é o momento de testarmos nossa fé, basta aceitarmos conviver com isso que com certeza o balconista dirá a ele o seguinte: “Só um instante senhor, que depois dele eu já lhe atendo!”

Viu só? o silêncio falou mais do que mil palavras, pois isso é a graça de Deus se manifestando. E mesmo que o balconista atenda o freguês antes de você, aceite mesmo assim, que Deus te recompensará de outra maneira, pode ter certeza. Ainda mais se esse freguês for um senhor ou uma senhora de idade.

Este amor também deve se manifestar, de modo geral, na família, porque a família é o lugar onde essa água viva deve jorrar, pois nela também enfrentamos situações como a da padaria. E é na família que aprendemos a amar e a tratar bem as pessoas porque Deus quis nascer em uma família.

Vocês já pararam para pensar que todos os dias a humanidade busca algo para se saciar e nunca está satisfeita? Ou seja, gastamos tanta energia nas coisas do mundo para estarmos à frente do outro e não somos felizes.

É quando os pais jogam suas expectativas nos filhos e vice-versa, os maridos jogam suas expectativas nas esposas e vice-versa. Quantos casamentos não seriam destruídos se os esposos ou as esposas aprendessem a buscar água viva em Deus?

Fazemos nossas obrigações com um esforço imenso porque o pote pesa. Jesus está querendo mostrar a essa mulher que seu jugo é suave e seu fardo é leve. Não precisamos levar tudo a ferro e fogo, não é só porque alguém desrespeitou nossa vez que devemos nos vingar dele ou dela.

Ame, mas não significa que você deva gostar, é que quando reagimos de forma negativa, estamos nos igualando a esse alguém. A samaritana representa todos nós, tentando saciar sua sede de existência no poço do mundo.

E Jesus é maior que tudo isso, e consequentemente, quem conhece o dom de Deus é uma pessoa bem amada, portanto devemos partilhar esse amor.

O que vem de nós que podemos ofertar a Deus para saciar sua sede e sua fome são os nossos pecados. Quando Jesus está prestes a morrer na cruz Ele também diz à humanidade: “Tenho sede!” e quando um dos soldados perfura o lado de Jesus com a lança, imediatamente brota sangue e água. A água representa o Batismo e o sangue a Eucaristia.

O ser-humano pode morrer por um justo, por exemplo, pelos seus filhos, mas por algum assassino, jamais. O único que morreu pelos assassinos, estupradores, ladrões e maus-caracteres foi Jesus. Deus não se cansa de perdoar, nós é que cansamos de lhe pedir perdão.

A esperança não decepciona e se você se identifica com um samaritano ou uma samaritana, peça a Jesus Cristo para dar-lhe de beber dessa água viva, pois Jesus cumprirá sua promessa em você, porque este Deus em quem confiamos é um Deus poderoso.

Assim como o cego de Jericó, peçamos a Jesus: “Jesus filho de Davi, tende piedade de nós!” A multidão tentou abafar a voz desse pobre, mas ele teve coragem e gritou a Deus até Jesus se aproximar dele e lhe perguntar: “De que precisa?”

E assim, como muitos samaritanos daquela cidade, abracemos a fé em Jesus, pois esta água viva se manifesta na Eucaristia, através de seu corpo e de seu sangue.

Artigo baseado na homilia de:
Padre Manoel Corrêa Viana Neto.
Diocese de Campo Limpo,
São Paulo – SP.

AVISOS:

 

Solenidade a São José – Patrono da Igreja

Será transferida para o sábado dia 18 às 9h.
Local: Salão Paroquial de Santa Sua Suzana.
Rua David Ben Gurion, 777.

 

 

This will close in 0 seconds