13º Domingo do Tempo Comum – 2022


Domingo, 26 de junho.

Hoje, Padre Manoel, em sua homilia, preguntou às crianças qual é o primeiro mandamento de Deus, e elas muito bem instruídas disseram: “Amar a Deus sobre todas as coisas!” e ainda complementaram: “Devemos amar a Deus mais do que nossos pais, porque Deus quem os criou e os protege.”

Se eu digo que amo a Deus, mas brigo com alguém no trânsito ao sair da Missa, significa que eu amo Deus? Está aí algo para se pensar. Por isso devemos colocar na prática o amor a Deus, perdoando e relevando muitas coisas que poderiam nos prejudicar.

Na primeira leitura o profeta Elias chama Elizeu para ser um grande profeta. Elias, ao passar perto de Eliseu, lança sobre ele o seu manto e Elizeu o começa a seguir. Qual foi o momento em sua vida que Deus passou o manto sobre ti lhe chamando à conversão?

Na segunda Leitura, São Paulo diz: “Foi para a liberdade que Jesus Cristo nos libertou!” ou seja, do pecado e da escravidão. O Demônio não é feio como ilustrado na idade média. O Demônio foi um anjo de luz e nos seduz com sua beleza.

Por exemplo, para quem é diabético, a tentação é comer doce. E isto não deixa de ser uma cruz, como foi dito no domingo passado. Para muitos maridos a tentação é a traição,  aprender a amar também não deixa de ser uma cruz, porque quem ama não trai.

Na nossa vida, infelizmente, queremos brilhar mais que os outros, mas devemos saber que não viemos aqui só para enriquecer, comer, beber, dormir, se divertir etc. Viemos para amar, servir a Deus e salvarmos nossas almas.

Podemos ter as coisas também, mas Deus quer nos dar tudo na liberdade, como por exemplo, saúde, prosperidade e bens. O dia em que começarmos a nos escravizar pelas coisas, deixaremos de conquistá-las. O Demônio também pode nos dar o que queremos, mas ele nos cobra por isso nos escravizando a ele.

No evangelho, Jesus está caminhando com os discípulos e, caminho na Bíblia significa caminhada de crescimento na fé. E alguém na estrada diz a Jesus: “Eu te seguirei para onde quer que fores”. E Jesus diz a este homem que para isso, este deve se desapegar de tudo e não olhar para trás.

A nossa vida cristã é um caminho onde devemos aprender a desapegar. Significa que você pode ter suas coisas, mas que também saiba viver sem elas. Tem muita gente que quando perde um emprego, ou um ente querido, praticamente deixa de viver e não é isto que Deus quer.

Jó, no antigo testamento, perde tudo, inclusive sua saúde e família, mesmo assim, ele não desiste e ainda clama a Deus dizendo; “Deus deu, Deus tirou, bendito seja Deus!” E no final do livro de Jó, Deus lhe concede seus bens em dobro.

Devemos ser fiéis a Deus mesmo nos sofrimentos e dificuldades e não carregar o fardo em nossas costas de situações do passado, pois o fardo de Deus é leve e seu julgo é suave.

Avisos

• Palestra dia 28/06 – terça feira às 20h00 no salão de festas.
– Entrada pelo portão 5 do clube.
– Tema: Suícidio
– Trazer um quilo de alimento não perecível.
– Palestrante: Padre Lício do Vale. Mebro da ABEPS – Associação Brasileira de Estudos e Prevenção ao Suicídio
https://www.linkedin.com/in/liciovale/

• Próximo Domingo:
– Missa Solene de São Pedro e São Paulo;
– Comemoração do aniversário natalício e 26 anos de sacerdócio de Padre Manoel .