19º Domingo do Tempo Comum – 2022


Domingo, 07 de agosto.

Amar a Deus e amar a todos é um exercício de fé, embora a gente não a veja, mas a fé é muito concreta, porque ela se prova através de nossas obras e atitudes.

Por exemplo, é muito difícil a gente se desapegar de alguma coisa e doá-la, mas se tivermos fé, somos capazes.

Eu mesmo gosto muito de doce e ontem quando fui à padaria, comprei dois sonhos só pra eu comer, mas quando eu vi um garoto pedinte na saída do estabelecimento, lembrei da minha filha, que graças a Deus tem o que comer, e dividi um dos sonhos com ele.

Isso, além de ser uma atitude prática da fé, não deixa de ser um sinal para eu amar mais o próximo e cuidar mais da minha saúde. A carta aos Hebreus diz que a fé é o fundamento da nossa esperança.

Fundamento é comparado a um chão sólido que nos mantém seguros e, se a fé é o fundamento da nossa esperança, é o primeiro sentido da nossa caminhada.

A oração do Pai nosso é um modo como um discípulo de Jesus vive a sua fé, e a primeira atitude do cristão, nesta oração, é reconhecer que Deus está cima de tudo e por isso seu nome é santificado.

Devemos santificar o nome de Deus através de nossas vidas, ou seja, o nosso modo de viver é um modo de santificarmos o nome de Deus, como nos relacionamos com nossos irmãos e como lidamos com as coisas materiais.

Pode um pai que ama seu filho lhe dar um escorpião quando aquele lhe pedir um peixe? Existe um pai que dê uma pedra a seu filho, quando este lhe pedir um pão? Não.

Se até os maus são capazes de dar coisas boas a seus filhos, quanto mais Deus vos dará aquilo quando vós o pedirdes.

“Batei e será aberto, buscai e encontrareis, pedi e recebereis” Jesus já começa a testemunhar a fé de uma forma concreta dizendo que o Deus que nós cremos é um Deus providente.

Como é que podem dizer que Deus é mal e que Deus é vingativo, se Ele é o sumo Bem? para que eu creia que Deus é um Deus providente, devo aceitar suas correções.

Toda a correção é para o crescimento de um filho, na carta aos Hebreus diz que se o filho não aceita a correção de um pai, é um filho bastardo.

Deus nos corrige através dos nossos sofrimentos para que possamos reconhecer nossa pequenez perante Ele.

É quando Ele permite a perda de nossos bens, uma doença ou um desastre, até entendermos sua dinâmica em nossas vidas.

Mas Ele nunca nos desampara. “Tudo concorre para o bem dos que amam a Deus!” Até o sofrimento que passamos.

Padre Manoel em sua homilia disse que as vezes quando ouvimos uma palavra da Bíblia que diz: “convertei-vos!’, achamos que esta palavra é, por exemplo, para nossa sogra, mas nunca para nós.

Mas quando lemos: “Eis que lhes darei muitas bençãos!”, aí trazemos esta palavra para nós, e quando lemos: “pegue seus bens e doe aos pobres!”, achamos que esta passagem é para o nosso chefe rs.

Tudo o que está escrito na Bíblia é dito para nós mesmos, ou seja, é a nossa história. Portanto o fundamento da fé significa que Deus não nos tira nada, Deus nos dá tudo, mas quer que tenhamos tudo com liberdade.

AVISOS:

• Mês de Santa Suzana: Comemoração no quarto domingo de agosto. Tríduo: quinta, sexta e sábado na Paróquia de Santa Suzana.

• Semana Nacional da Família: Informações sobre as palestras no site e nas redes sociais da Paróquia. https://santasuzana.org.br

• Dia 12/08 Life Night. Evento de Jovens no Salão Paroquial da Santa Suzana. Horários: Crianças às 19h20 – Adolescentes às 20h30hs.

• Dia 27/08 será realizada a Quermesse Agostina no salão paroquial da Santa Suzana na Rua David Ben-Gurion, 777.

Custo do convite: R$ 20,00 que pode ser usado em consumação se comprado com antecedência.

Os convites serão vendidos na comunidade São Paulo Apóstolo no dia 14/08.

• Catequeses para o crescimento e aprofundamento na fé: Terças e quintas no salão paroquial da Santa Suzana às 20hs, é um investimento para a sua vida espiritual.

• Estamos arrecadando um Quilo de alimento não perecível que serão doados às famílias carentes da Caritas.